Pages

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

José Rodrigues dos Santos

Lembram-se que andava a ler o Anjo Branco? Já acabei!!!

Confesso não ser muito fã de leituras que relatem factos históricos e principalmente de guerra, mas... este livro manteve-me colada à história e a desejar saber, o que iria acontecer a seguir.

Talvez por o livro se dividir essencialmente em 3 grandes partes, e infância e juventude do médico, O seu inicio de carreira e depois a guerra colonial em si... o tenha tornado mais leve e não um aborrecido livro de guerra.

A escrita do autor é feita de forma fluida, relata factos históricos, transmite valores, humor,... Conta uma história, que talvez por ter sido escrita por um jornalista, não tem demasiados floreados!

Posso dizer que este livro dá-nos cultura ao mesmo tempo que entretêm.

Se gostei? Sim!
Se recomendo? Sim!
Se fiquei tentada a ler mais livros dele? Vamos ver... hehe

Deixo-vos mais um bocadinho...

"O que é o bem e o que e o mal? Todos nós intuímos estes conceitos, mas a sua definição precisa escapa-nos. Até hoje." Apontou para a janela. "Tive a resposta a este enigma no momento em que vi o mal naquela aldeia. Vi-o impregnado nos corpos carbonizados que se espalhavam pelos escombros, vi-o quando me questionei sobre o que levaria os homens a fazerem uma coisa tão cruel. E depois deparei-me com uma criança que saiu viva e intacta de baixo do corpo queimado de uma desgraçada que os soldados quase haviam morto e percebi que há coisas que o mal, por mais que tente, não poderá conquistar. O amor daquela mãe foi mais poderoso do que o mal daqueles homens. Mas só agora, enquanto estava aqui a ouvi-lo falar, é que consegui transformar em palavras a ideia que desde então me andava a ruminar a mente." Cravou de novo os olhos penetrantes no seu interlocutor. "Sabe o que na verdade é o mal?"
Sentindo-se incomodado com a intensidade daquele olhar, Aniceto Silva abanou a cabeça.
"Ó doutor, agora não", disse. "Poupe-me a essa conversa."
"É a incapacidade e nos pormos no lugar do outro. Quando os soldados matam mulheres e crianças como quem mata formigas, estão possuidos pelo mal porque não conseguem pôr-se no lugar das vitimas, não conseguem perceber a posição delas nem sentir o que elas sentem. O mal é a incapacidade de imaginar os sentimentos do outro e de os sentir como se pudéssemos ser nós."

24 Seres especiais comentaram :

Sofia disse...

Eu pessoalmente gosto da forma como ele escreve, já li dois livros dele. Este livro ainda não li, mas pelo bocadinho que aqui deixaste fiquei tentada a fazê-lo.
Obrigada pela partilha
beijo

Manuela disse...

Querida Gaspas, eu também gostei de "A filha do capotão". O "Anjo branco" está em lista de espera. O marido leu-o num ápice :)

Gigi disse...

Ola querida tudo bem?adorei a resenha !!nossa cheguei a ficar arrepiada, parece ser bem forte o livro.obrigado pela visita e pelo comentario no meu blog.adoro quando voce passa por la.

Patricia disse...

Este trecho parece a narração daquilo que assitimos todos os dias no noticiário.
Por agora é impossível entregar-me às delícias da leitura (tu sabes,a Pimentinha,rsrs).
Fica esta sugestão para quando a vida permitir :)

Beijinho grande.

arKana disse...

Olá!
é muito bom o autor mesmo! já li o de Codex 632, recomendo!
beijo

António Rosa disse...

Também gostei muito do livro e como passei pela guerra colonial em Moçambique, compreendi perfeitamente a situação.

Abraço.

ESpeCiaLmente GaSPaS disse...

Sofia,
Também gostei bastante da forma como ele escreve :)

Manuela,
Fiquei tentada a ler mais livros dele e esse é uma boa hipótese :)

Gigi,
É um livro forte e com conteúdo, que retrata bem a maneira de ser dos portugueses.

Patricia,
Pois, com eles ler é uma aventura. Este livro felizmente consegui lê-lo de seguida em 5 dias. Mas o normal é ter de lê-los às prestações... Aproveito quando ele vê desenhos animados.

Arkana,
Tenho de investigar qual dele vou ler a seguir. Acho que há um que pega com este... por ser história de família.

António,
Pois para quem lá esteve este livro deve trazer à mente situações boas e más lá vividas.

Catarina A disse...

Nunca li nenhum livro dele, mas estou tentada a isso ;)

Beijinhos *

An@ disse...

Eu ainda não li nada dele!:(

Mas lá chegarei!

Mas... já tive a oportunidade de estar e conversar com o autor ih ih ih

Beijokas

ESpeCiaLmente GaSPaS disse...

Catarina,
Força, acho k vais gostar :)

An@,
E deve ser uma pessoa interessante para se falar :)

Wanderley Elian Lima disse...

Nunca li nada desse autor, vou procurar ler. Valeu pela dica.
abração

Fresco_e_Fofo disse...

Eu só li um livro dele e um do Miguel Sousa Tavares e foram ambos emprestados, porque estes gajos mal aprendem a juntar as letras e começam logo a pedir 5 mocas por um livro.
Vão roubar prá estrada eheheh.

xanafilipe1980 disse...

ola GaSPaS,
para ser sincera nunca gostei muito do Jose Rodrigues dos Santos como jornalista mas há 2 anos atrás num acto de desespero pois estava sem nenhum livro para ler e aqui na Holanda nao existe propriamente muitos sitios onde se encontrem livros em portugues, encontrei um livro dele e decidi arriscar. Em boa hora o fiz pois dei a mao á palmatória, o homem é um escritor como nunca vi! Podes ler todos sem ordem especifica pois sao excelentes! em menos de 2 semanas devoro um livro dele e é porque tempo poupar um pouco! os meus preferidos sao:"A filha do capitão","A vida num sopro" e "A formula de Deus" ainda hoje me faz parar e olhar para as pedras de uma forma diferente! Já agora, muitos parabéns pelos teus blogs, vim cá parar através da Casa Claridade! desculpa o testamento,
beijos a voar da terra das tulipas,

Xana

Deusa disse...

Odeio livros de guerra,meu marido le coleções e mais coleções sobre primeira,segunda guerras mundiais,Bernard Corwell(acabou de ler a ultima coleção que ele escreveu).Mas este deve ter algo de diferente mesmo,pois alinguagem e muito mais leve e emocional.Eu não concebo nenhum tipo de sofrimento em crianças,não suporto nem ler,mas este me pareceu tão espiritual.Quem sabe eu consiga ler sem me sentir horrorizada.
Beijinhos
Deusa
vasinhos coloridos

Xana disse...

Eu li o codex 632, e tenho de ser franca, aborreceu-me... Torna-se descritivo demais, não voltei a pegar em nada dele...
Apesar disso, já li críticas muito boas a este livro...
beijoca

ESpeCiaLmente GaSPaS disse...

Wanderley,
vale a pena :)

Fofo,
Eles gastam muitas canetas a escreve-los e têm de paga-las :)

Xanafilipe,
às vezes duma má moita sai um bom coelho :) Grata por indicares quais gostaste mais.

Deusa,
penso k conseguias ler este. Não é muito torturador e negativo nesse aspecto.

Xana,
Este é descritivo mas sem bater na mesma tecla. A história flui a bom ritmo sem se tornar aborrecida.

Cristina disse...

Oi Gaspas!!!
É uma boa definição essa do mal...uma vez ouvi falar que o Amor é o maior sentimento do mundo e contra ele o mal não vence.
Mas infelizmente o ser humano para não sentir a dor alheia e se tornar vunerável a ela...finge não vê-la!!!
O texto foi muito bom!!!
Uma Boa noite
Beijos

Meio Cheio disse...

Não sou grande fã dos seus trabalhos mas é sem duvida um tipo de escrita facil de absorver e de ter como leitura de cabeceira. O que interessa é ter sempre algo para ler...alimentar o cerebro como se diz ;)
Beijinho*

Morbid_Angel disse...

"O mal é a incapacidade de imaginar os sentimentos do outro e de os sentir como se pudéssemos ser nós."
Perfeita descricaum, assim eh o mal msm, sinto q das vzs em q cometi o mal foi bem assim, naum me coloquei no lugar do outro, mas tudo tem um preco, todo mal gera uma consequencia pra quem cometeu a maldade, pode acreditar nisso.
Tem selo e meme pra ti na Cela, mas soh aceite se qser.

Deusa disse...

kkkkkkkkkkkkkk..acabei de ler no meu Blog,você dizendo que eu passe também as suas roupas...kkkkkkkkkkk.........amiga,eu passo tão mal que você ficaria traumatizada...kkkkkkk...engraçadinha...kkkkkk.
Deusa
vasinhos coloridos

ESpeCiaLmente GaSPaS disse...

Cristina,
as maioria das pessoas agem como se a dor e sofrimento dos outros fosse algo contagioso... é o nosso sistema de defesa e sobrevivência que acaba por vencer o amor.

Meio cheio,
Isso é verdade alimentar e ginasticar o cérebro é importante :)

Angel,
Como seres imperfeitos que somos infelizmente todos nós em aluma(s) fases da nossa vida acabamos por cometer esse erro. Depois é só colher o que plantamos e tirar a nossa lição de vida :)
Já dou um salto ao teu blog :)

Deusa,
Pronto eu tentei livrar-me do fardo, mas não consegui... quem sabe numa proxima... hihihi! :)

lina disse...

Nem sei como aqui vim parar... coisas da navegação... mas não resisto a deixar a minha opinião acerca deste autor: Comecei a lê-lo em "A fórmula de Deus" e nunca mais parei... fui pedindi aos amigos e familiares como presentes de Natal, aniversario, etc. as várias obras dele e já li todos os seus romances... Gosto da maneira como escreve, prático, sem "floreados", relatando e explicando factos historicos de forma agradavel e cativante, mantendo-nos "agarrados à leitura até ao fim!... Recomendo!

horticasa disse...

Lei sim, os melhores não são os de factos reais, os melhores dele são, A formula de deus, O codex, Furia divina, O setimo selo... todos para mim são fabulosos e espantasticos...
bj eugénia

Cidália disse...

Eu já li sim!
Queria que ela tivesse ficado com o tenente! O meu lado romântico e terrível!
Beijinhos

Related Posts with Thumbnails