Pages

quinta-feira, 13 de maio de 2010

Faz hoje 4 anos...

... dia 13 de Maio, que me veio parar às mãos um ser amarelo, muito especial, o R. Um caçador nato, com genica e vitalidade. Muito carente de mimo e senhor da sua tigela. Pouco tempo depois de o acarinhar escrevi um texto que gosto de recordar neste dia. Vou partilhar convosco:
_______________________________________


O R e o irmão apareceram junto da casa da minha sogra, que mora no campo. Ela afirma que numa noite por volta do dia 11 de Maio de 2006 ouviu muitos ganidos, de choro... Noite em que foram abandonados?!?!

Mas deixo que seja o próprio R a contar o que lhe aconteceu:


Olá, eu sou o R.

Mas quando me chamam de anda, toma, bicho e me assobiam eu vou sempre ter com a pessoa que me chama.

Sou muito obediente, meigo e tenho uns belos olhos azuis esverdeados que fazem sonhar qualquer um... mas a minha vida ultimamente tem sido um pesadelo! A minha mãe desapareceu, os meus irmão também, inclusive a pessoa que me alimentava...

Não vos sei dizer a minha idade... talvez 3 meses... Esta ultima semana foi tão dolorosa para mim e custou tanto a passar que podia até dizer-vos que tenho 3 anos. Mas infelizmente sou um bebé... um bebé abandonado ao seu destino.

Quando dei por mim estava sozinho com o meu irmão, perto de uma casa. Não conhecia a casa. Chorávamos muito, tínhamos frio,tínhamos medo, e começávamos a ter fome.

Não nos afastámos muito da tal casa naquela noite e nos dias seguintes. A erva alta abrigava-nos e protegia-nos do frio. Os poucos restos de comida e a água do gato da casa enganava o nosso estômago, à mistura com um pouco de erva que comíamos... sim, erva... quando a fome é negra come-se qualquer coisa.

Por 2 ou 3 vezes fomos corridos pelos donos da casa. Ouvimos dizer:
- Só aparecem aqui animais abandonados. O ultimo foi um gato, ao qual já nos tínhamos afeiçoado mas, que ao fim de um ano de muito apego e carinho, após ter ficado preso nas armadilhas dos caçadores, não podendo andar, foi atropelado. Se nos apegamos a estes cães e depois acontece algo de mal, sofremos outra vez. É melhor correr com eles.

Por conta disto apanhamos com um banho e uns palavras de desprezo.

Entretanto perdi o meu mano, nunca mais o vi. Agora sou só eu, sozinho. Mas ainda há a esperança de conquistar o coração das pessoas desta casa, afinal sou tão meiguinho e encantador eles vão apaixonar-se por mim com certeza.

No sábado ouvi uma voz nova naquela casa e resolvi tentar novamente impressionar... Era uma mulher mais jovem que os donos da casa. Aproximei-me dela devagar e ouvi:
- Oh que cãozito tão giro!!
E ao mesmo tempo que a jovem se baixa para me agarrar, sinto uma pazada no rabo muito ao de leve no rabo, era a senhora mais velha a mandar-me embora. Fugi assustado para as ervas.

Mas finalmente senti que alguém tinha começado a ficar impressionado com a minha presença. Comecei a ouvir: Anda... anda... toma... Era a jovem a chamar por mim. Aproximei-me dela devagar. Ela agarrou-me ao colo e levou-me para perto da casa.

A senhora mais velha deu-me um pouco de comida. Comi tudo... tinha tanta fome que parecia um aspirador, o chão ficou limpo.

Comecei então a perceber-me dos seus ares de preocupação de volta de mim...

Ao que parece perdi o meu irmão mas arranjei uma boa centena de “amigos”. As minhas orelhas estavas pretas por dentro: Carraças. O Pêlo estava cheio de bolas gordas: Carraças. A barriga estava cheia de pequenos bichos pretos: Pulgas. O meu pêlo estava baço e sem brilho.

Deram-me novamente um pouco de comida, e... discretamente fui beber a água do gato. Aparentemente não se importaram.

A jovem mulher fez-me muitas festas... foi tão bom! Pensei que nunca mais na vida ia receber festas. Depois ela foi embora...

Entretanto os donos da casa foram comprar um pó e esfregaram-me todo com ele, foi bom, parecia uma massagem. Ouvi eles comentarem que era para matar os bichos do meu corpo. Eu não me importei que eles morressem, já estava a gostar mais daquelas pessoas que daqueles amigos que me sugavam o sangue!

Quando anoiteceu fui chorar um pouco para a porta da casa dos senhores, tinha frio! Disseram-me para estar calado, e eu fiquei. Eles já me tinham ajudado tanto que não quis abusar da paciência deles! Fui dormir para o meio das ervas.

No Domingo... Surpreendi-os logo com a minha agradável presença à porta! Deram-me comida, água e mais uma massagem com aquele pó para matar o resto dos meus amigo!! Felizmente já muitos deles tinham desaparecido.

De tarde apareceu novamente aquela senhora jovem. Fez-me muitas festinhas. Tirou-me uma farpa que eu tinha debaixo da língua, que me andava a incomodar há muito, por ter comido ervas para matar a fome.
Foi passear comigo, sem trela, e eu portei-me muito bem, ia colado aos pés dela e não me afastava nem 30 cm.
Depois tirou-me umas fotos... até achei piada! Confesso que sou muito fotogénico, mas... como podem ver 1 dia após me terem ajudado ainda ando com o rabo entre as pernas e tenho aquele olhar triste... de quem foi abandonado neste mundo tão cruel para um cachorro.

Estou a aproveitar ao máximo as festas, a comida, a água, mas tenho medo que me abandonem outra vez, não sei o que o futuro me reserva, mais frio, mais fome...

Ouvi eles dizerem que iam cuidar de mim, disseram que eu ia ganhar um banho, comida para cachorro, umas coisas chamadas vacinas...

Eu, donos já encontrei... adoptei estas pessoas de coração!

23 Seres especiais comentaram :

luarte disse...

Que bonito é o teu R. :)
Gostei tanto de ler a apresentação do teu bichano. Muitos parabéns pelos 4 aninhos de convivência :)

Shin Tau disse...

Parabéns ao R e à família que de coração mais ou menos aberto o acolheu :d

Espero que a viagem partilhada continue a ser agradável!

Bj

Ana disse...

que sorte a do cãozinho e de quem ele adoptou:)

Sonia disse...

que lindas palavras que escreveste ! e ele é tão lindinho.
Ainda bem que teve a sorte de vos encontrar

Cin disse...

Eu me emociono quando leio algo assim. Tambem sou assim, minha mae tambem é. Já cuidamos de cachorros abandonados na minha rua várias vezes. Mamae ajuda em um canil da cidade para manter esses cachorrinhos abandonados. Fazemos o que podemos, mas infelizmente nao é o bastante. Se todas as pessoas fossem assim, generosas e bondosas, teríamos menos animais sofrendo no mundo.
Parabens, ele é um cachorrinho lindo!

bjs

mãe rã disse...

que fofura, realmente é dificil não se apaixonar por um focinho tão fofo e umas orelhinhas como essas. O R. tem razão, foi ele quem vos adoptou.
:-)

Fernanda disse...

Pessoas que abandonam animais indignam-me! Que falta de coração, já dizia...não sei quem: Quem não gosta de animais não gosta de pessoas, e é bem verdade!

Coitadinho...
Felicidades para a família, que ganhou um novo membro!

analuciana disse...

Impossível não ficar emocionada com esta história, mas felizmente ele teve sorte, muita, e tenho a certeza que tem retribuido todo o carinho que tem recebido.
Parabéns para ambos!

Hyndra disse...

Coisa mais linda :-D

Sente a Natureza disse...

Mas que doce olhar... É muito amor ! Felizmente se cruzou com vocês !

Bonitinho R :)

Meio Cheio disse...

Que lindoooo o teu R.!!!
Está visto que se adoptaram mutuamente...e não há nada mais fabuloso que isso...ele fez uma familia mais completa...e voces fizeram de um cachorrinho um sortudo.
Parabens =)
Beijo*

Mônica - Sacerdotisa da Deusa disse...

Ai que cut!!!
Que coisa mais linda flor! Nossa, fiquei tão entretida lendo que já estava a imaginar o cãozinho falando e mexendo a boquinha hahaha.
Que vcs sejam muito felizes sempre!
beijinhos.

Flores e Luz.

Fernanda M. disse...

Chorei...linda a história do R. , sou coração mole e amo cães!

Fresco_e_Fofo disse...

Já tinha lido este post ontem, meio a dormir, meio acordado, mas fiquei logo com a ideia de que este cachorro escreve muito bem.
São "lindos", não são? Lindos e muito mais "humanos" do que muita gente que anda no Mundo só para estorvar.
Também tenho uma, com dez anos, filha de cadela de rua e que escapou por pouco à eutanásia.
Conhece-me melhor do que eu próprio e é uma amiga inseparável. Vai comigo para todo o lado e é tão bem comportada que só dá vontade de a apertar.
Parabéns pela atitude.

Monica disse...

Bem, que texto Meu Deus...e como adoro animais, tenho as lágrimas nos olhos.

É tão lindo o R.

Mónica - Dona de Casa Perfeita

Maria Papoila disse...

Tão lindo o R!
Foi de certeza uma bênção para ambos! Pois existe sempre uma troca mútua de amor, carinho e amizade!
Beijinhos

Fernanda Reali disse...

Linda história de amor! Diga ao R. que aqui no Rio de janeiro, um bebe chamado Isabela foi resgatada na rua, embaixo de um ônibus. Está grande e forte agora, veja:

em janeiro
http://fernandareali.blogspot.com/2010/01/meu-novo-bebe.html

em agosto
http://twitpic.com/2fduh2

Beijos

Spooky disse...

Adorei a historia de R.
Ele é seu? Hoje?

Da uma olhada nas duas meninas que adotei o antes e o hoje:

http://emporiobruxaria.blogspot.com/search/label/contos%20de%20filhotes

Agora tenho 3 crianças caninas!

Saudações e felicitações!

ESpeCiaLmente GaSPaS disse...

Oi,

O R ficou comigo sim, não resisti aos olhos azuis dele e ao abandono a que foi sujeito tão pequeno!!!

É um excelente caçador (hobbie dele) e adora o seu território, muito carente de mimo... é um fofo!!!!

É meu companheiro e cão de guarda junto com outro cão que temos!!

:)

Cristina disse...

Olá!!!Ele é lindo e espero que esteja muito bem...eu sei o que é adotar uma animalzinho abandonado,todos os que tenho em casa e os muitos que já tive vieram assim...um dia eles partem mesmo,é assim com todos nós,mas o que realmente vale é o amor dado e o que fica depois!!!Bjs

ESpeCiaLmente GaSPaS disse...

Ele tá optimo!! :) Deve estar caído numa esquina a apanhar solinho :)

disse...

Ainda me lembro desta historia e da irma que nunca soubemos se era ela ou nao... ele ao menos esta optimo!

ESpeCiaLmente GaSPaS disse...

E depois desse já me vieram parar às mãos mais 2 bebés que abandonaram aqui e que tive de ir entregar à instituição... Felizmente vieram cá ter antes de ser atropelados.

Related Posts with Thumbnails