Pages

terça-feira, 31 de agosto de 2010

SER ou TER?

Debaixo dos nosso pés e diante dos nossos olhos temos um belo planeta. Cheio de cores, cheiros, de diversidade de fauna e flora. Que nos dá sol, água e comida. E, com tanto caos pelo meio.

Graças a este caos os nossos valores, hoje em dia, estão completamente de pernas para o ar. Vivemos numa sociedade que acha que a felicidade é ter muitos bens materiais e troca-los por novos sempre que nos apetece.

Somos pessoas cuja meta é a obtenção de lucro e a regra é competir!

Mas será que os bens materiais trazem felicidade? Queremos sempre mais e mais. Nunca ficamos satisfeitos (felizes)?

As crianças competem na escola e os adultos no trabalho.
Quem tem o melhor telemóvel?
Quem tem sapatos e roupa de marca?
Quem tem o computador com melhores características?
O vizinho trocou de carro, eu também tenho de trocar!
Foi lançado um baton novo vamos comprar!
Há um novo (mais um) produdo no mercado para emagrecer, vou experimentar!

O que isto faz à nossa auto-estima dos nossos filhos?

Devíamos passar mais tempo com as crianças, aprendendo e ensinando valores, aproveitando o que o nosso planeta tem de bom, conhecendo-nos a nós próprios.

Mas preferimos enfiar-nos em shoppings com as crianças.

Compramos, compramos, compramos...

Temos o congelador cheio de comidas pré-feitas cheias de conservantes e aromatizantes! As crianças acham que os frangos nascem no hipermercado já sem penas.

Enchemos roupeiros com roupas, armários do wc com dezenas de produtos de beleza... tudo para nos sentirmos bem com a nossa imagem (sim, porque hoje em dia a imagem parece contar mais que o conteúdo).
O querer constantemente mudar o nosso visual só prova que não gostamos de como somos, e ensinamos as crianças a não gostarem delas como são, a crescerem sem amor próprio e que se movem apenas pelo consumo exagerado.

Compramos carradas de brinquedos para os nossos filhos se entreterem sozinhos, enquanto nós temos centenas de coisas importantes (será?) para fazer.

Estamos a tornar-nos pessoas vazias?

Estamos a deixar de dar importância ao SER. Os nossos pais, avós,... lentamente foram começando a enraizar-nos com o TER em vez do SER. Eles fazem-nos estudar para SER alguém na vida o acaba por significar TER algo a vida!
Não temos aprendido a importância do SER, a importâncias de nos conhecer-mos. O nosso SER anda adormecido...

Mas se não estamos satisfeitos (ou estamos?) podemos sempre mudar. Existem duas opções: O SER e o TER... E a sua opção, qual é?

23 Seres especiais comentaram :

Poupadinha disse...

Concordo plenamente e assino em baixo. É dificil resistir neste mundo de tentações em que nos enfiam tudo pelos olhos. E o exemplo que damos aos nossos filhos é o reflexo do que eles se vão tornar amanhã. Deixas-me sempre a pensar... e isso é bom.

Beijinhos

Sissamar disse...

Concordo plenamente com tudo! Irrita-me que certas pessoas tenham á força toda de fazer o mesmo que os outros, detestos carneiradas e a maior parte das vezes se me dizem que tem de ser assim, e que eu até saiba disso, é da maneira que mais depressa faço assado! Detesto quando ceta pessoa me entra aqui em casa e me diz que vai comprar isto igual ao meu, ou quer aquilo igual ao meu e que aquilo que não tenho ela tem claro aquilo que temos as duas, a dela é sempre sem sombra de dúvidas melhor!
Não vivo para a aparência, não escondo quando me perguntam onde comprei tal coisa que foi na feira ou nos chineses, adoro uma pechincha e para mim, tudo o que cá está, cá fica, não vou levar nada, apenas sentimentos e momentos. O resto pouco me importa. É claro que gosto de ter uma vida cómoda, mas não me guio por modas e regras, mas sim, pelo que gosto, posso ter e se tenho mesmo de ter ou não.
Beijinhos

Tuquinha disse...

Apenas te digo que fui muito mais feliz quando não tinha tanto materialmente do que provávelmente agora...Opto pelo SER
beijinhos

Filipa disse...

Tanta verdade nas tuas palavras...
Mas é uma escolha dificil... A razão leva-nos para o SER, mas acabamos por nos deixar levar pelo TER...

Meri Pellens disse...

Que lástima. Confesso ser consumista por novidades. Mas não tudo também. Porém ontem mesmo comprei algo que posso dizer supérfluo, não aguentei. Aff... É tão bonitinho, tinha que comprar...
Beijos na alma!

sofia-educarcomcarinho disse...

Tens toda a razão.. é mesmo incrível como vivemos aficionados no TER... é incrível e triste.
A história de que as crianças acham que os frangos nascem no hipermercado é mesmo real, imagina tu que faz já algum tempo uma amiga minha que é professora primária pediu aos alunos numa das actividades que desenhassem um frango e não vai que a maioria o desenhou sem penas e sem cabeça, tal como aparecem no hipermercado, fiquei chocada.
Eu sou pelo SER e luto para que aqueles que me rodeiam assim o sejam também :)

Betty Gaeta disse...

Ótimo texto! Concordo em termos, pois se parássemos de consumir o mundo iria à falência. Nunca se consumiu tanto, mas nunca o mundo foi tão rico e progressista como nos dias de hj. O que não podemos nos esquecer é de ser, além de ter. Não há erro em ter, mas é necessário ser.
Bjkas e uma ótima terça-feira para vc.

http://gostodistonew.blogspot.com/

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Eu procurei mudar meu estilo de vida. Cada vez compro menos. E vejo o quanto de coisas eu posso viver sem e vivo tranquilo.
Se tenho dois pés, não preciso de vinte pares de sapato.
Se vc perguntar a muitos qual a diferença entre ter e ser, muitos sequer sabem responder!

gostei muito da reflexão! bom dia

luarte disse...

Tantas pessoas que têm tanto e são tão ocas no seu ser.
Infelizmente é esta a sociedade que que vivemos. O que conta é o que se tem porque o resto vem por acrescimo. Que tamanha mentira. E é essa mentira que tem vindo a ser passada com mais força às novas gerações.
Beijinhos

Michelle Crístal disse...

Gostei. Obrigada pela visita, embora breve, em palavras eternas... Gostei da sua cozinha como disso, procurar em ser e não ter!

Anne disse...

Lindo post! Eu prefiro "ser", sempre. Tantas pessoas "têm" o que mostrar, materialmente, mas nada a ensinar como ser humano, e isso é lamentável. São coisas a se pensar, mesmo. Obrigaada pela força, flor! Adorei os blogs, o de receitas é maravilhoso,, vou anotar váaarias, rsrs. E sim, eu confio em Deus que meu noivo ficará bem. Bjos carinhosos, seguindo vc!

S* disse...

O dinheiro e os bens ajudam... mas não garantem felicidade nenhuma.

Wanderley Elian Lima disse...

As pessoas estão mais preocupadas em ter, que ser. Isso é muito triste.
Um grande abraço

Sara disse...

Concordo com tudo!!!
Infelizmente também tenho e compro muitas mais coisas do que as que preciso :(
Mas felizmente começo a apreciar as coisas todas que o dinheiro não pode comprar...
Bj

Cristal disse...

li atenciosamente este post, posso com toda a certeza afirmar que tanto gosto de ser como de ter qb, eu sou o que sou e tenho o que mereço!

este é outro assunto como cOUtucar, eheh - dava pano para mangas

beijinhos
PS: quem sabe um dia fazemos um post a quatro mãos

ESpeCiaLmente GaSPaS disse...

Vai cUOtucando!! :P
Algo a 4 mãos ficávamos todas roxas de tantas cOUtucadelas!

Catarina disse...

O Ser é e deve ser SEMPRE mais importante que o Ter.Porque o Ter é fugaz e o Ser é eterno.

Se uma pessoa ajuda outra pessoa que caiu no meio da rua, a pessoa que caiu vai-se lembrar que a que a ajudou FOI simpática e não o que TINHA calçado.

Nesta era de consumismo desmedido, dá-se demasiada importância ao Ter, para justificar a falta do Ser...
E que falta que faz o Ser...(acho que está a desaparecer, que triste...)

Mas tudo depende da complexidade de cada um e daquilo que é realmente importante, como valor, para cada pessoa.

Mais uma vez: e que falta que faz o Ser...

Beijos

Sonia disse...

eu fujo cada vez mais do ter, da aparência e do consumismo louco .
E fujo tb de quem pensa que a aparência e o ter é o que importa.
A idade ensina que as coisas desaparecem e o que fica são as pessoas e os sentimentos, os valores....cada vez dou mais importância ao meu núcleo familiar,ao meu lar -o sitio onde me sinto bem -mesmo que não tenha uma serie de moveis e objectos...penso que aos poucos as pessoas estão a acordar para esta realidade do ser em vez do ter.
Lindo texto para meditarmos

avioletadanca disse...

Belo texto! Desde sempre me procuro, tentando descobrir a pessoa que realmente sou. Esta sociedade de consumo deixa-me doente, logo bato palmas a este teu texto.

Daniele O disse...

Olá!
Como meu blog Prefiro SER rs!
Já te contei que trabalho no hiper e quanto consumismo ! Realmente será que precisamos de tanto? Será que não depositamos no comprar nossas frustrações? Eu dou aulas de personal de graça nas horas vagas... alguns acham um absurdo, mas eu gosto! Estes dias troquei o carro mas amo minha moto, o carro deixo com quem amo hahaha, quase ninguém sabe, as vezes no meu trabalho alguém fala, a chefe trocou de carro, mas é raro eu trabalhar com ele kkkk! Os valores perderam - se, e nós temos que sempre estar resgatando esses valores do SER para que possamos viver em um mundo melhor!
Bjs
Ser Estranho Ser!
Obs: o meu último post dediquei a você, tem música e acho que vais gostar!

nat. disse...

Olá!

Obrigada pela visita!
Adorei este texto... A eterna luta do ter e do ser... Eu prefiro o Ser... mas na luta pelo Ser, perdi-me um pouco no Ter, para Ser... e o Ter deixa mto a desejar... De que adianta dar uma prenda aos que amo, se por vezes não consigo sequer parar para falar com eles?...

...

O SER sem dúvida é O CAMINHO!


Beijinho!

Ps. gostei do teu cantinho!

Ana disse...

Como eu concordo.
Esta reflexão está 5*.
Adorava partilhá-la no facebook.
É pena que não tens essa opção.
Beijinho

ESpeCiaLmente GaSPaS disse...

Não sou facebookoconsumista!!! :)

Related Posts with Thumbnails