Pages

sexta-feira, 30 de abril de 2010

Cocharro, Cucharro...

Já vocês estão a pensar:
- Onde é que ela desencantou tamanho palavrão? hahahaha.

Para falar a verdade tive de ir ali fora de cocharro em punho, perguntar ao meu P (que estava entretido na nobre tarefa de catar ervas daninhas da minha horta) o nome do artefacto!!!

Este era dele. Lembro-me, quando era pequena de ver mais alguns lá em casa, mas ao fim destes anos todos, alguém (mãe querida, mãe querida... ggrrr) provavelmente numa forma inconsciente de empregar feng shui, foi deitando-os para o lixo para fazer fluir as energias positivas (ggrrrrr, escusava era ter deitado os chocharos para o lixo). Mas há poucos anos consegui salvar o ultimo que estava lá em casa ( Ufaaa).

O cocharro é feito de cortiça. Vocês sabem de onde vem a cortiça, certo?
Do sobreiro (Quercus suber), sobro que é uma árvore da família do carvalho. A cortiça extrai-se da casca!!
Árvore, que por este andar tarda nada está extinta. O Homo Sapiens Sapiens Var. Distructus golfistus anda a dar cabo dela para edificar cimentus vulgaris.

O cocharro serve para: Beber água. Funciona como um púcaro.

Este veio de Marmelete em Monchique. (Mas como Monchique não tem só água. Também podem usar o chocharro para beber aguardente de medronho cof cof hihihi).


Agora tenho aqui uma duvida. Na net encontrei mais palavras escritas: cucharro, mas no dicionário de falar algarvio está: cocharro. Fica a duvida...

9 Seres especiais comentaram :

Hazel disse...

Ah, eu sabia o que era.
Há muitos, muitos anos que não ouvia esta palavra, e acredito que muita gente a desconheça.
O meu pai andava sempre com um no carro, para o caso de passar por uma fonte e querer beber água.
Cheguei a beber muita vez água pelo cocharro (também não estou certa da forma correcta de como se escreve esta palavra) quando era criança.
Depois, também desapareceu...

Espaço Clarear disse...

Visitar seu Blog além de entretenimento também é cultura!
Adorei o post... já havia visto e até mesmo tocado tal objeto, mas não fazia a menos idéia de como se chamava.
Parabéns pela idéia original de nos apresentar o cocharro.
Ah, proposito? Será que todas as mães tem mania de jogar coisas no lixo? rs rs rs
Beijos, Clarice.

Selena disse...

Que graça esse "tal cocharro"! Parece uma peça indígina! Lindinho o ache! Não tinha visto ainda, assim, neste idêntico formato!

Gaspas, se puderes passar um e-mail envio-lhes mais algumas fotos da "Terra do Sempre"!

Beijos de luz na sua nobre alma!

Tuquinha disse...

conheço esse artefacto mas honestamente não sabia que se chamava assim...
essa denominação não conhecia...tás a ver já aprendi algo contigo hoje...
beijinho

Ana disse...

nunca tinha ouvido falar:)
mas é bom reavivar estas memórias!

Andreia disse...

Tenho um desses aqui por casa :) Obrigada pela recordação.

Cláudia M. disse...

Também tenho duas dessas preciosidades na terra do meu pai (Cuba, Alentejo). E não é que a água sabe muito melhor bebendo por aí?
Mas o que é incrível é que lá não chamam cocharro, mas sim cocho! :)

luarte disse...

Obrigada por me ensinares o que é um Cocharro. É que até ao dia de hoje só conhecia um colega da faculdade com esse apelido bem estranho, e que era ali para a zona de Almeirim. Há conta disso, rio-me muitas vezes de uma conversa, daquela que viria mais tarde a tornar-se sua mulher (também minha colega): "Sempre sonhei colocar o nome de Maria Joana a uma filha, mas com o apelido do pai não dá (Maria Joana Cocharro). Eram bem capazes de na escola, os colegas apelidarem-na de "pedrada". Iria odiar-nos para o resto da vida". Beijinhos

Fabiano Mayrink disse...

sabia que aqui se faz isso com aboboras! nao sei te explicar qual especie de abobora, depois vou colocar no blog para vc ver! ai te aviso

Related Posts with Thumbnails